Research Blog

MAXQDA Website

Uma análise ao sector da água português: análise de entrevistas com o MAXQDA

No artigo anterior demonstrei como o MAXQDA foi fundamental na realização de uma revisão bibliográfica sobre a eficiência energética no sector da água em Portugal. Neste, vou mostrar-vos como consegui realizar entrevistas e organizá-las na minha investigação com a ajuda das funcionalidades do MAXQDA, nomeadamente em tarefas como a transcrição, codificação e análise. Assim, vou falar-vos de algumas das funcionalidades do MAXQDA que me impressionaram e ajudaram a ultrapassar algumas das dificuldades encontradas durante esta parte da minha investigação.

Contexto do trabalho de campo: início das entrevistas

As entrevistas desempenham um papel preponderante neste tipo de investigação, e, neste caso, têm dois objetivos principais:

  • Analisar quais são as barreiras que impedem a eficiência energética no sector e determinar os vetores e incentivos mais apropriados para a sua promoção.
  • Compreender quais devem ser as prioridades deste sector em Portugal para os próximos anos, e que importância é dada à eficiência energética nestes objetivos.

Embora cada modalidade de entrevista tenha as suas vantagens e desvantagens, o método presencial foi preferido porque permite um maior nível de interação entre o entrevistado e o entrevistador, bem como a recolha de várias informações (ex: linguagem corporal) que poderiam passar despercebidas ou que seriam mais difíceis de obter de outra forma, como por exemplo por telefone. No entanto, dadas as atuais circunstâncias enfrentadas pela sociedade devido ao contexto da pandemia, as entrevistas acabaram por ser realizadas sob condições únicas e diferentes que condicionaram parcialmente o processo.

A realização das entrevistas proporcionou uma experiência rica e inigualável na compreensão das diferentes realidades de cada uma das entidades gestoras e de como estas influenciam o seu funcionamento e objetivos, mas também para aprender interagindo com pessoas com diferentes origens e vastas experiências profissionais e de vida.

Rio Mondego em Coimbra.Figura 1: Rio Mondego em Coimbra.

A primeira entrevista foi com o Diretor de Engenharia e Gestão de Ativos da Águas do Alto Minho, uma entidade gestora de água e de saneamento relativamente nova, que resultou da agregação de sete municípios. Com base numa equipa jovem, mas com uma vasta experiência no sector, esta nova entidade gestora pretende enfrentar vários desafios, tais como reduzir as perdas de água em mais de metade, com uma mentalidade muito inovadora e sustentável.

Entrevista com Pedro Cruz, o Diretor de Engenharia e Gestão de Ativos da Águas do Alto Minho.Figura 2: Entrevista com Pedro Cruz, o Diretor de Engenharia e Gestão de Ativos da Águas do Alto Minho.

Análise de Entrevistas & MAXQDA: Transcrição e Análise

Tipicamente, e desta vez não foi exceção, as entrevistas são gravadas com a devida permissão para facilitar a transcrição e análise futuras, uma vez que é muitas vezes inviável escrever ao ritmo do diálogo. Tanto o smartphone como o tablet provaram ser uma grande ajuda nesta tarefa, evitando recorrer a outro equipamento e permitindo uma fácil exportação para o computador para manuseamento e análise futuros. Além disso, o MAXQDA tem a vantagem de permitir a importação de vários formatos de áudio e vídeo, tais como os do smartphone e do tablet, para posterior transcrição.

Modo de transcrição.Figura 3: Modo de transcrição.

O processo de transcrição é uma tarefa muito mais complicada e demorada do que normalmente parece. (E acreditem, leva muito mais tempo do que o diálogo e do que inicialmente pensamos!) E é por isso que considero a capacidade de ajudar no processo de transcrição como uma das grandes funcionalidades do MAXQDA neste tipo de investigação porque tem um valor acrescentado significativo que ajuda a simplificar todo o processo.

Uma vantagem é a possibilidade de ajustar a velocidade de reprodução para ajudar a acompanhar os diferentes ritmos de diálogo que normalmente ocorrem durante as entrevistas, bem como para ajustar à capacidade de transcrição do utilizador (que é muitas vezes afetada pela fadiga resultante do processo).

Painel de controlo (ajustar volume e velocidade de reprodução).Figura 4: Painel de controlo (ajustar volume e velocidade de reprodução).

Outra vantagem é a capacidade de ajustar o intervalo de desbobinar para cada vez que a reprodução é interrompida (Figura 5 – a). Esta opção permite-lhe continuar o processo quando a reprodução é retomada sem que nenhuma parte seja pulada e esquecida. (E acreditem, há sempre alguma pequena parte que tende a escapar!)

Existe uma opção adicional nas definições para transcrições que ajuda agilizar e simplificar ainda mais o processo, nomeadamente a mudança automática de orador (Figura 5 – b). No meu caso, uma vez que a gravação tinha apenas dois oradores (o entrevistado e o entrevistador), esta opção foi muito importante para acelerar a transcrição, uma vez que era possível definir a designação para cada um dos oradores (eu mantive o original “I:” e “R:”) e mudar automaticamente a designação do orador cada vez que um novo parágrafo era iniciado, evitando assim ter de escrever cada vez a designação do orador.

Preferências para transcrições (a- intervalo de desbobinar; b - mudança automática de orador].Figura 5: Preferências para transcrições (a- intervalo de desbobinar; b – mudança automática de orador].

Finalmente, outra vantagem é a possibilidade de atribuir de forma simples e intuitiva marcas de tempo a partes do texto, tornando possível não só identificar aquilo a que essa parte se refere, mas também ouvir excertos específicos e atribuir-lhes códigos. Em suma, estas características ajudaram a tornar o processo significativamente menos demorado e complexo.

Resumo das marcas de tempo.Figura 6: Resumo das marcas de tempo.

A utilização do MAXQDA também permite codificar dados ou, por exemplo, adicionar memorandos enquanto se está a transcrever. (verá que esta possibilidade é muito importante quando surgem aquelas ideias ou conclusões disruptivas enquanto se transcrever o áudio de uma entrevista)

No meu caso, a cada categoria distinta de códigos (criados de acordo com os meus objetivos de investigação) atribuí uma cor diferente para poder utilizar mais tarde outra das funcionalidades do MAXQDA, o Retrato de Documento. Ao utilizar esta funcionalidade, foi possível observar a distribuição dos vários temas ao longo de cada entrevista, bem como a dimensão, a frequência e a importância no diálogo de cada um deles.

Por exemplo, ao olhar para o retrato de documento de duas entrevistas distintas, pude distinguir claramente referências a barreiras (em vermelho) e vetores/incentivos (em verde-escuro) à eficiência energética dos outros temas abordados durante as entrevistas. Além disso, também foi possível notar duas situações distintas nas entrevistas: o entrevistado da esquerda fez uma maior referência aos incentivos do que às barreiras, enquanto a resposta do entrevistado da direta se centrou mais nas barreiras. Igualmente, foi facilmente percetível que o entrevistado da direita focou as suas respostas mais na sua entidade gestora (em laranja), enquanto o entrevistado da esquerda focou mais no sector em Portugal (em amarelo), referindo-se também à sua própria entidade gestora.

Retrato de documento de duas entrevistas. Retrato de documento de duas entrevistas.

Figura 7: Retrato de documento de duas entrevistas.

Primeiras conclusões e próximos passos

Após auxiliar com a revisão da literatura que ajudou a desenvolver o guião das entrevistas, o MAXQDA agilizou significativamente um processo tão demorado como a transcrição, acelerando-o e poupando tempo através das suas funcionalidades especiais, tais como a capacidade de ajustar a velocidade de reprodução ou o intervalo de desbobinar. Além disso, e sem utilizar qualquer outro software, o MAXQDA também permitiu a realização de outras tarefas, frequentemente em simultâneo, com a transcrição, tais como a codificação e análise através de funções muito intuitivas que permitiram uma análise qualitativa das entrevistas e tirar algumas conclusões importantes.

Até ao momento, o testemunho de alguns colaboradores de entidades gestoras de abastecimento de água e de saneamento ajudou não só a compreender a importância que este sector desempenha na sociedade, mas também a validar alguns dos desafios que este sector em Portugal irá enfrentar na próxima década, tais como reduzir as perdas de água e aumentar a resiliência dos sistemas.

Dados estes e outros desafios enumerados durante as entrevistas, torna-se evidente a importância de continuar a transição para uma maior eficiência e sustentabilidade no sector, que deve ser abordada através de medidas, soluções e estratégias inovadoras, disruptivas e sustentáveis para ultrapassar as barreiras existentes, tais como a reutilização de águas residuais tratadas ou a valorização de lamas, a fim de assegurar o futuro da sociedade e do ambiente.

Finalmente, as próximas etapas serão a continuação das entrevistas e a realização dos questionários online para compreender mais detalhadamente as barreiras e incentivos à eficiência energética num sector tão crucial e para alcançar um desenvolvimento sustentável da sociedade.

Central solar fotovoltaica flutuante na bacia do rio Rabagão, em Montalegre.Figura 8: Central solar fotovoltaica flutuante na bacia do rio Rabagão, em Montalegre.

Sobre o Autor

Bruno Miguel de Jesus CardosoBruno Miguel de Jesus Cardoso é detentor da bolsa #ResearchForChange da MAXQDA, e aluno do Doutoramento em Sistemas Sustentáveis de Energia na Universidade de Coimbra, Portugal. O seu projeto de investigação intitulado “Consumo de energia no sector da água em Portugal: benchmarking, barreiras e incentivos à eficiência energética” está em curso em Lisboa, Porto e Coimbra, Portugal.

MAXQDA Newsletter

Our research and analysis tips, straight to your inbox.